Simples sem ser Simplório

2800b-permacultura

Simples sem ser Simplório

Por Tomás Deleuse (CARPE)

Vamos começar por uma gota d’água. Apenas uma gota. Um é um número singular, o primeiro e por isso, talvez, um número menos complexo. Na biologia os organismos unicelulares também são considerados em si organismos mais simples e menos estruturados. Mas o quão simples essa gota parece ser? Em si é apenas uma única gota, que em um oceano aparentemente  não representa nada. Mas uma única gota d’água é capaz de fazer um copo cheio transbordar. Não é a toa que existe a famosa expressão popular “a última gota d’água” para representar de forma simbólica situações limites que desencadeiam em processos muito maiores, em si mais complexos. Assim como os processos que deram origem a essa única gota, desde a união de móleculas de Hidrogênio e Oxigênio até os ciclos da natureza que disponibilizam esses elementos constantemente no ambiente.

Acredita-se que os organismos unicelulares se desenvolveram dando origem a organismos pluricelulares extremamente complexos, que conseguiram se consolidar posteriormente nos primeiros animais a habitar o planeta Terra. Um único organismo junto a muitos outros conseguiu se transformar desencadeando um processo complexo que teve a capacidade de multiplicar a vida no planeta.

Dá para perceber como o simples e o complexo possuem um relação estreita? Como eles caminham juntos nos diferentes processos de vida que acontecem? Pensar em focar no simples para eliminar a complexidade, ou o contrário, é algo que pode nos limitar. Entender o andamento em complementariedade dessas duas situações é primordial. Caminhar do simples OU complexo, para a percepção do simples E complexo. Nos fluxos de nossas vidas, o simples anda de braços dados com o complexo.

Na CARPE buscamos colocar isso em prática com os serviços e produtos que oferecemos como ferramentas para mudarmos nossas relações. Trabalhamos com 5 serviços essenciais – Agricultura Inteligente; Gestão de Resíduos Locais; Educação Ambiental; Comunicação e Cooperação; Eficiência Energética e Bioconstrução – onde colocamos em prática caminhos que possam conciliar o simples e o complexo, formando processos cooperativos, a partir da simplicidade de suas ações, mas extremamente complexos a partir de suas pegadas positivas que favorecem os processos de vida do planeta.

Quando pensamos em plantar o que colhemos a partir de um agricultura produtiva, partimos de uma das ações mais simples que o ser humano pode escolher para ser sintrópico em suas relações (ideia explicada no post anterior). Simplesmente plantar o que deseja colher. Essa admirável simplicidade tem a capacidade de gerar, por exemplo, uma floresta tropical extremamente diversificada, capaz de recuperar mais de 15 nascentes de água, com aproximadamente 450 hectares cultivados, que produzem alimentos, madeiras e plantas medicinais, recompensando quem a plantou, e toda uma fauna em conjunto. Um exemplo claro de ações que são simples mas que não são simplórias. O melhor de tudo é que isso é um exemplo real que foi realizado pelo grande mestre, Ernst Gotsch, percursor do que entedemos no Brasil como Agrofloresta (www.agendagotsch.com.br) e que é a base metodológica da nossa linha de Agricultura Inteligente.

O simples e o complexo também se manifestam lado a lado quando pensamos na gestão dos resíduos que nós geramos. Em uma composteira, por exemplo, conseguimos com uma ação simples, direcionar os resíduos para a produção de adubo orgânico, para tratar os resíduos orgânicos não cozidos, no local aonde foram gerados. Já em uma construção, é possível optar por não comprar praticamente nenhum material e coletar de forma consciente os recursos que a natureza disponibiliza no local. Assim você consegue construir uma casa que pode colocar em prática conhecimentos simples e tecnologias tradicionais locais, dando origem a lindas construções, com um uso eficiente dos recursos e capazes de proporcionar os melhores sentimentos de felicidade para seus moradores.

Isso também não é diferente em nossas relações e comunicações. A simplicidade no modo de nos relacionarmos, com transparência, cooperação, cuidado, confiança e amor incondicional tem a capacidade de criar laços e relações extremamente fortes, com um nível de complexidade e sentimentos que aprofundam  ainda mais essas interações.

Também não dá para deixar de falar da conhecida expressão, “less ir more”, ou seja, menos é mais. Outra que vem a nossas mentes é a também famosa, “seja a mudança que você quer ver no mundo”. Como vemos, não é difícil de perceber e sentir isso na pele, onde o menos tem a capacidade de ser mais, e muito mais. Olhando os exemplos mais simples, com a simplicidade de suas ações, é possível refletir e perceber o quão complexos eles tem capacidade de ser. Conseguem ser simples sem ser simplórios. Assim como podemos ser em nossas ações. Você quer mudança ou você quer mudar? O percurso pode ser menos complicado do que você pensa. Simplifique suas ações, que você irá complexificar suas realizações!