O que é Consumo Consciente?

Pense rápido: o que é consumo? A palavra é bem conhecida de todos e, seguramente, tem algum significado para você. Consumir implica em um processo de seis etapas que, normalmente, realizamos de modo automático e, mais ainda, muitas vezes impulsivo. O mais comum é as pessoas associarem consumo a compras, o que está correto, mas incompleto, pois não engloba todo o sentido do verbo. A compra é apenas uma etapa do consumo. Antes dela, temos que decidir o que consumir, por que consumir, como consumir e de quem consumir. Depois de refletir a respeito desses pontos é que partimos para a compra. E após a compra, existe o uso e o descarte do que foi adquirido.

Considerando todos esses aspectos do consumo, você vai ver que ele está presente praticamente o tempo todo em nossas vidas. Ao acordar, vamos ao banheiro e consumimos água, eletricidade, pasta de dente e sabonete. Depois tomamos café-da-manhã e lá vai café, pão, manteiga, geléia, frutas, água, eletricidade. E mais água para fazer o café e para lavar a louça. Quando saímos para o trabalho, a menos que se vá a pé ou de bicicleta, consumimos combustível, mesmo que seja do ônibus, e no caso do metrô, energia elétrica. Dependendo da ocupação de cada um, haverá diferentes tipos de consumo, mas é quase certo que haverá uso de eletricidade, papel e cafezinho, por exemplo. Portanto, mesmo que você passe o dia todo sem sequer abrir a carteira, terá consumido muita coisa.

Por isso o consumo é algo muito importante e que provoca diversos impactos, tanto positivos, quanto negativos. Primeiro em nós mesmos, já que, muitas vezes, nos prejudicamos na saúde com os alimentos não ideais ( como:cereais, pão, produtos de origem animal, café, chocolate etc e que, na maioria das vezes, são industrializados, cobertos por milhares de embalagens( e com isso gera-se muito lixo) e muito “veneno” – como por ex.: os queridos conservantes), ainda temos que arcar com as despesas do consumo… mas é lógico que nos beneficiamos do bem estar derivado dele – mas frizo, não na alimentação industrializada atual, mas sim de outras formas. Depois, o impacto na economia, porque ao adquirirmos algo, movimentamos a máquina de produção e distribuição, ativando a economia. Também afeta a sociedade, porque é dentro dela que ocorrem a produção, as trocas e as transformações provocadas pelo consumo. E por fim, o impacto sobre a natureza, que nos fornece as matérias-primas para a produção de tudo o que consumimos.

O consumo é um dos nossos grandes instrumentos de bem estar, mas precisamos aprender a produzir e consumir os bens e serviços de uma maneira diferente da atual, visto que o modelo hoje utilizado de produção e consumo contribuiu para aprofundar alguns aspectos da desigualdade social e do desequilíbrio ambiental. Mas as coisas não precisam ser assim e existe um enorme potencial para que o consumo que nos trouxe a essa situação, se exercido de outra forma, nos tire dela. Vamos ver como?

Consumo Consciente

Bem, agora que você já sabe que muitos dos nossos atos são atos de consumo e que eles impactam a sua vida e as condições da vida no planeta, chegou a hora de saber como você pode usar suas escolhas de consumo para ajudar a construir um mundo social e ambientalmente melhor. O caminho passa pela adoção do consumo consciente. E o que é consumo consciente? É consumir levando em consideração os impactos provocados pelo consumo. Explicando melhor: o consumidor pode, por meio de suas escolhas, buscar maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos dos seus atos de consumo, e desta forma contribuir com seu poder de consumo para construir um mundo melhor. Isso é Consumo Consciente. Em poucas palavras, é um consumo com consciência de seu impacto e voltado à sustentabilidade.

O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta, lembrando que a sustentabilidade implica em um modelo ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. O consumidor consciente reflete a respeito de seus atos de consumo e como eles irão repercutir não só sobre si mesmo, mas também sobre as relações sociais, a economia e a natureza. O consumidor consciente também busca disseminar o conceito e a prática do consumo consciente, fazendo com que pequenos gestos de consumo realizados por um número muito grande de pessoas promovam grandes transformações.

O consumo consciente pode e deve ser praticado no dia-a-dia, por meio de gestos simples que levem em conta os impactos da compra, uso ou descarte de produtos ou serviços. Tais gestos incluem o uso e descarte de recursos naturais como a água, a compra, uso e descarte dos diversos produtos ou serviços, e a escolha das empresas das quais comprar, em função de sua responsabilidade sócio-ambiental. Assim, o consumo consciente é uma contribuição voluntária, cotidiana e solidária para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

Praticar o consumo consciente consiste numa atitude de liberdade de escolha e de protagonismo da própria existência. É uma tomada de posição clara, democrática e ética. O consumo consciente com certeza irá gerar uma reflexão e tal reflexão pelos consumidores deverá gerar uma cadeia de estímulos que irá contagiar positivamente as empresas e seus funcionários, sua família, colegas e amigos que, diante do exemplo, serão impelidos a refletir sobre os seus próprios atos de consumo.

Para ficar mais claro, vamos dar um exemplo simples. Você já deve ter ouvido falar que a água é um recurso natural escasso e que cerca de 30% da população mundial não tem acesso à água tratada de boa qualidade. Portanto, mesmo que você consiga arcar com sua conta de água, e portanto possa, em princípio, gastar o montante de água que lhe aprouver, tal fato trará como impacto a não disponibilidade de água, um recurso precioso e muito escasso, para um grande número de pessoas. Além disso, antes da água chegar à sua torneira, ela é tratada. Esse tratamento custa dinheiro. Se você economizar, o volume de água tratada será menor e os custos serão mais baixos. Caso contrário, para aumentar o abastecimento, a prefeitura terá de investir em novas estações de tratamento, que exigirão investimentos e usarão o dinheiro que poderia ser aplicado em outras áreas, tais como saúde, educação ou transporte. Um outro ponto a considerar é que, se a água for usada em quantidade maior do que a realmente necessária, talvez as fontes usadas já não consigam atender a demanda. Se isso acontecer, as autoridades terão de buscar água mais longe, o que provavelmente vai encarecer o custo da água e vai dificultar o acesso a ela pelas populações de mais baixa renda.

A falta de água de boa qualidade provoca diversos males. Entre 1995 e 2000, só no Brasil, ocorrerram 700 mil internações hospitalares por doenças relacionadas à falta de água e saneamento básico. Portanto, quando você fecha a torneira ao escovar os dentes, ao se ensaboar no banho e ao lavar a louça, você está praticando um ato de consumo consciente, um ato que terá um impacto positivo sobre a sociedade porque ajudará a preservar água para os outros; terá um impacto positivo para a economia porque adiará a necessidade de novos investimentos no setor; terá um impacto positivo sobre a natureza porque não estará pressionando as nascentes; e terá um impacto positivo para você, que vai economizar na conta de água.

E como não poderia deixar de falar sobre a nossa alimentação, aqui vão algumas dicas de como começar a aderir uma dieta baseada em alimentos naturais ou melhor em alimentos FEITOS para o ser humano.

O primeiro passo é se informar. Comprar livros, ler, fuxicar mesmo.

Aconselho os seguintes livros: “The 80/10/10 Diet” Dr. Douglas Graham, “ The China Study” T. Colin Campbell PhD and Thomas M. Campbell II,The Raw Secrets” Frederic Patenaude – pra quem sabe ler em inglês – é uma mão na roda! 🙂 – e em português tem o da Conceição Trucon “Alimentação Desintoxicante” que é mt bom também…

Após a busca pela informação – que é o primeiro passo, e que, na verdade nunca deve-se parar de procurar – vem a introdução dos hábitos alimentares saudáveis.

1) Comecem pelo café da manhã! Em vez de café, leite, pão, manteiga… simplemente frutas!!! Faça uma vitamina de frutas – uma receita como base : bananas ou mamão ou manga ou maçã ou perâ ou uma mistura de duas frutas + folhas verdes ( couve; salsinha; alface; erva doce etc) ou talos de aipo + água de coco ou água filtrada – mas em pouca quantidade. Pronto! Rápido, fácil e delicioso! E durante toda a manhã – somente frutas!!!

2) No almoço, procure comer alguma fruta antes de almoçar – sabe porquê? Porque quando se come frutas antes de uma refeição (seja ela qual for) vc se sacia e desta forma come menos alimentos cozidos, carnes, queijo e até mesmo muita salada – (isso mesmo que vc leu) pois nós somos seres frugívoros e não exatamente vegetarianos, pois não possuímos a celulase (enzima que digere a celulose das folhas e vegetais).
Então, temos sempre que priorizar as frutas e como complemento, comer verduras, vegetais como : repolho cru, brócolis cru, couve-flor crua, cenoura crua (se for fresca e orgânica), quiabo cru (que é uma delícia!!!), tomates, aipo, pepino, pimentão vermelho e amarelo etc… e sementes como : girassol, gergelim… e castanhas e nozes como: castanha do pará, nozes, amêndoa etc – mas tudo fresco, orgânico e cru de preferência! E também lembrando – comer em pouca quantidade sementes, nozes e castanhas! Pouca gordura é um dos segredos da saúde! 🙂

3) Antes do jantar, novamente frutas! e, depois, sua refeição normal. Priorizando sempre os alimentos crus. E assim por diante, vai mudando o almoço por somente refeições de frutas – aí já são café-da-manhã e almoço…depois passe para o jantar. Tente substituir o jantar por uma refeição de frutas e lógico lembrando sempre de comer como complemento os vegetais e verduras! E claro também que para entender melhor esta dica, você tem que se informar.

A mudança é gradativa, diária, consciente. Se informe, busque pessoas que já estejam vivendo este estilo de vida, peça ajuda. O bem estar individual e pra nossa Mãe Terra é sentido rapidamente, ao passo que vamos caminhando em direção à saúde próspera e o mínimo de impacto ambiental. Seu corpo agradece e a Natureza também. 🙂

E lógico que não poderia deixar de comentar sobre os exercícios físicos tão importantes para a manuntenção e, com isso, os resultados positivos advindos de uma dieta-estilo de vida baseada em alimentos verdadeiramente naturais. Exercícios sempre! Diariamente – lembre-se sempre: se consumir tem que gastar! 🙂

Obs: e pra quem quiser mais informações sobre o que falei aí em cima, procure pelo blog minhas postagens antigas, que explico melhor. Ou compre os livros que recomendei e devore-os! 🙂

CONSUMO CONSCIENTE

É consumir diferente: tendo no consumo um instrumento de bem estar e não fim em si mesmo.

É consumir solidariamente: buscando os impactos positivos do consumo para o bem estar da sociedade e do meio ambiente.

É consumir sustentavelmente: deixando um mundo melhor para as próximas gerações.

É isso meus adoráveis visitantes! Reflitem e mudem pra melhor!

Mais uma dica – vejam este documentário que dismistifica um pouco essa história de Aquecimento Global : http://blog.brasilacademico.com/2008/09/grande-farsa-do-aquecimento-global.html

Bj Grande! Enjoy!

Malu


Se inscreva no site!

www.alimentacaointeligente.com.br

Curta no Facebook! 

www.facebook.com/alimentacaointeligente 
www.facebook.com/malupaesleme

Me Siga no Instagram!

@malupaesleme

1 comentário

Comentários encerrados.