Busca pela harmonia corpo/mente




Olá!

Como já divulguei aqui no blog, dou orientações para quem quiser descobrir o frugivorismo e colocar em prática na sua vida diária. E com estas orientações venho percebendo uma coisa linda que acontece naturalmente, e que aconteceu comigo também no começo, quando eu descobri o frugivorismo… é a capacidade incrível de ouvir, sentir e perceber o que está ruim e o que está bom (em harmonia) no nosso corpo.

Isso se dá pelo fato de estarmos dando o alimento (combustível) ideal para o nosso corpo – as frutas e os vegetais crus – e vivendo um estilo de vida mais ativo, mais próximo da natureza e mais ecológico. Desta forma, nosso corpo passa a trabalhar em um estado de harmonia, pois tudo o que é consumido foi feito para o nosso corpo digerir, assimilar e eliminar de forma perfeita. As frutas e os vegetais são alimentos solares, sutis e leves. Podemos dizer que quando passamos a nos alimentar deles, estamos de fato nos alimentando de luz (solar).

Tudo isso influencia positivamente para entrarmos em contato verdadeiro com nosso interior. Devido ao consumo de muitas frutas e vegetais e atividade física diária, conseguimos eliminar grande parte do que não precisamos ajudando na eliminação de toxinas diversas produzidas não só pelo corpo naturalmente, quanto pelas toxinas externas (poluição etc.), fazendo com que nosso organismo esteja sempre mais limpo e com energia – fluindo em nosso corpo.

Quando isso começa acontecer, o nosso emocional também começa a sentir os efeitos. E esses efeitos muitas vezes são difíceis de lidar pois passamos a lidar com vícios arraigados, que há muito tempo estão nos “bloqueando” e nos difucultando o acesso com o nosso Ser Interior.

É preciso parar, se observar, sentir o incômodo, os desejos por alimentos e coisas que nos são prejudiciais e deixar sair esse sentimento, deixar ser desintoxicado, modificado, eliminado.

Não é preciso negar, fingir que não está ali, isso sim nos torna doentes e imaturos.

Encare, perdoe e ame esse sentimento e deixe ele naturalmente ir embora.

Nesta alimentação, o contato profundo com nós mesmos é bem claro e fica difícil não acessá-lo ou querer acessá-lo.

Uma coisa é certa, quando damos ao nosso corpo o que ele foi feito para comer, para beber, para se exercitar, para sentir etc., fica muito nítido que estamos no caminho certo, pois nos sentimos relaxados, calmos, felizes e ao mesmo tempo com energia de sobra.

O corpo forte e esbelto e o bem estar geral são o resultado da melhor escolha, são a consequência.

Ao mesmo tempo, quando damos ao nosso corpo alimentos desvitalizados (cozidos, industrializados, condimentados, refinados etc.) e não o tratamos com o devido movimento (atividade física e alongamentos) e respeito, ele também não consegue disfarçar o resultado negativo além de nos deixar em um mal estar constante, ficamos inquietos e cheios de medos.

Precisamos querer ouvir e querer ver o nosso corpo de verdade, para podermos perceber o que está indo errado ou o que está certo, e se devemos manter e/ou fortalecer isso que nos faz bem.

Cada indivíduo é o engenheiro e guardião de seu próprio corpo.

Por isso repito, o que a gente escolhe como combustível principal para o nosso corpo/mente tem papel fundamental nesse olhar para o que está indo bem ou mal, pois eles nos faz sentir mais os sinais que o corpo nos dá.

Normalmente, dou a dica de ao inciar uma alimentação natural e um estilo de vida ativo, que você também focalize no seu aprimoramento pessoal/espiritual e EMOCIONAL. Seja através de leituras espirituais e de auto-conhecimento, terapias, métodos de verbalizações, ou qualquer outra forma que você se sinta bem para se conectar com seu Ser Interior e conseguir se fortalecer para encarar de frente a saída da zona de conforto que acontecerá.

Zona de conforto?

Pois é, toda forma de mudança gera mal-estar inicial. Por exemplo, quando começamos uma nova atividade física, normalmente ficamos com os músculos doloridos e muitas vezes não conseguimos realizar o exercício de forma correta pois ainda estamos acordando o nosso corpo para ele. Normal, não é mesmo? Muitas pessoas podem QUERER olhar para esta situação e desistir do exercício devido aos “obstáculos iniciais” normais, ou ela pode QUERER olhar para esta situação como um desafio a ser superado e APRIMORADO a cada dia, gerando muitos benefícios futuros.

Tudo na vida requer objetivo, determinação e comprometimento diário para ser alcançado com sucesso.

Com a alimentação natural frugívora e um estilo de vida ativo e saudável não poderia ser diferente.

Parar de comer alimentos cozidos, alimentos de origem animal, sal, açúcar refinado, óleos, grãos e outros condimentos tóxicos para o nosso corpo não é nada fácil, mas com determinação e vontade de acessar o nosso melhor, conseguimos eliminá-los com sucesso.


Abaixo, compartilho com vocês algumas escolhas alimentares e de estilo de vida prejudiciais e que geram muitas toxinas, mas que podem ser evitadas com o aumento do consumo de FRUTAS E VEGETAIS CRUS e mudanças no estilo de vida:

1- Alimentos cozidos em geral

Os alimentos cozidos sejam ele vindos de origem animal (carnes, derivados de leite ou vegetais) são alimentos desvitalizados. Foram modificados suas estruturas moleculares e com isso a perda de muito nutrientes essenciais. Gorduras se tornam rançosas, carboidratos são caramelizados e “não reconhecidos” perfeitamente pelo corpo, proteínas se tornam carcinogênicas e muito mais.
Normalmente é preciso temperar e condimentar bastante os alimentos cozidos para se tornarem palatáveis, afinal, o cozimento evapora realmente o sabor dos alimentos.

2- Temperos e Condimentos

Em um post não muito antigo eu escrevi sobre os malefícios não muito divulgados sobre os condimentos em geral. Leia: http://alimentacaointeligente.blogspot.com/2011/01/condimentos-e-temperos-pra-que.html
A melhor escolha é re-aprender a escolher os alimentos naturais de forma que sejam palatáveis quando crus. E ainda melhor é saber fazer receitas com eles que não levam condimentos.

Quer uma dica? Meu livro de receitas naturais SEM CONDIMENTOS! Alimentacao Inteligente – Receitas Naturais, Ed. Livros Ilimitados — você pode comprá-lo comigo ou clicando no botão aí do lado.

3- Grãos (crus, germinados ou cozidos) e Amidos em geral (batatas, inhame, mandioca, abóbora)
Nossa necessidade principal são por carboidratos simples (açúcares simples) e água. Nem os grãos, nem os alimentos amiláceos contém esses dois em sua forma crua e integral.

Os grãos são carboidratos complexos, contém fibas INsolúveis, contém glúten (uma proteína encontrada na maioria dos alimentos que contém grãos, e é uma grande responsável por problemas neurológicos, pois foi provado que ele contém pelo menos 15 sequências de opiódeis! e são elas, uma das grandes responsáveis pelo vício, enjôos, sedação, euforia, disforia e por aí vai.)
Os grãos ainda contém uma querida proteção, os ácidos fíticos, que só nos atrapalham na absorção de cálcio. Além de, claro, ainda ser uma “cola” que fica presa no nosso intestino difultando absorção de nutrientes.

Os alimentos amiláceos são indigestos em seu estado cru para nós. Afinal, são amidos, são duros, nem um pouco palatáveis e, normalmente, precisam ser cozinhados e temperados, e perdem assim, seus nutrientes, além de se tornarem calorias vazias.

Em um futuro post, vou falar mais detalhadamente sobre os malefícios dos grãos e amidos.
4- Alimentos industrializados

No livro que estou lendo “Cem anos de mentira” o autor Randall Fitzgerald , fala extensivamente sobre todas as substâncias químicas geradas, criadas e adicionadas aos nossos alimentos, cosméticos, produtos de limpeza, rações para animais, vacinas e muito mais. É um grande livro que indico para todos aqueles que decidiram querer ver a realidade das coisas e mudar para melhor.

Sobre os alimentos industrializados, nem é preciso dizer muito não é mesmo?, eles já estão sem vida (desvistalizados), adicionados de substâncias extremamente tóxicas para o nosso corpo, e ainda por cima contribuem para a poluição ambiental e impacto ecológico gerado pelas fábricas onde são produzidos.
Em um futuro post, eu também compartilharei informações resumidas sobre deste livro!

5- Sedentarismo e Perda do sentido da vida

Não se movimentar DIARIAMENTE é um fator que gera, produz e acumula muitas toxinas.
Atividade física estimula o sistema linfático e faz as toxinas serem eliminadas mais fáceis e mais rápido.
Aqui no blog eu também já fiz uma postagem sobre o sistema linfático…dá uma lida: http://alimentacaointeligente.blogspot.com/2010/07/sistema-linfatico-pele-limpa-corpo.html

Sabemos que uma coisa sempre gera outra, pois está tudo interligado. Uma vida de maus tratos a si próprio gera mais maus tratos e mais mal estar por isso, muitas vezes levando a uma perda do sentida da vida. Depressão e baixa auto estima são constantes em uma sociedade que não procura a harmonia, a saúde e a qualidade de vida. O chato é que hoje vivemos nesta sociedade e existem muitas pessoas tomadas por essa deprê. Vamos mudar isso? Começa por cada um de nós!
A super dica é FOCARMOS NO BEM, FOCARMOS NO BOM, FOCARMOS NA SOLUÇÃO e fazermos tudo isso acontecer AGORA.

Aguardem os próximos posts e outras novidades!

Grande beijo,

Malu

5 Comentários


  1. Meu querido!!! Que gratidão receber seu comentário no meu blog! Que notícia maravilhosa!
    Gratidão pelo seu trabalho. Espero de coração que dê tudo certo – e vai dar! O universo conspira sempre a favor da vida!
    Imensa gratidão.
    E no que eu puder ajudar, conte comigo!

    Beijos de luz e felicidade,

    Malu


  2. innspirado em seu blog, vou abrir uma empresa de produção de adubo orgânico,tambem estou começando uma campanha contra o uso de agrotóxico, em grêmios escolares na minha região,Brumadinho MG.podemos nâo vencer o agronegócio toxico, mas coduziremos muitos a uma de alimentaçâo inteligente.de seu fã e seguidor mauricio,e que as forças cósmicas do bem te proteja.


  3. Olá Linda 🙂
    Quero muiiiiiiiiiiito ler o teu livro! Mas em Portugal não dá para encomendar 🙁
    Como faço?

    Beijinho
    Inês

Comentários encerrados.